Banner

Home
Quem é Baraldi
Personagens
Fotos
Cartuns e ilustrações
Charges
Jogo do Roko-Loko
Lojão
O que falam dele
Entrevistas
Prêmios
Podcast
Livro de visitas
Links
Blog
Twitter
Youtube
Fale comigo

 

Login



Comando Rock

BARALDI ATACA NOVAMENTE!


1-Primeiramente, gostaria que você falasse sobre o lançamento do livro "Roko-Loko e Adrina-Lina – Atacam Novamente!". O que o público irá encontrar nas “novas” aventuras da dupla?
Neste segundo volume estão reunidos os 4º, 5º e 6º anos da série que sai na Rock Brigade,além das tirinhas deste mesmo período. Estou tendo o cuidado de editar tudo em ordem cronológica porque quero que o leitor acompanhe a evolução dos personagens e não perca nenhum das historias que já saíram. Não vou deixar nenhuma de fora!

2-Neste livro foram incluídos textos de grandes nomes do rock nacional (Sepultura, Ratos de Porão, Krisiun, Korzus, Inocentes, Magazine e outros) comentando sobre os seus personagens. Como é receber este reconhecimento?É maravilhoso! Fico muito grato a esses grandes músicos pela consideração e gentileza e por curtirem meu trabalho.Me lembro do Andreas do Sepultura dizer que os filhos deles adoram ver o pai trasformado em cartum(rs).
E um outro lance muito legal foi que por causa das historias eu acabei ficando broder de músicos legais como galera do Harppia, Kid Vinil, Clemente, Made in Brazil, Dorsal, etc!Eu estou fazendo Rock’n´Roll tanto quanto eles, só que com meus quadrinhos e não com guitarras.

3-Após anos fazendo os cartuns do Roko-Loko e Adrina-Lina para a revista Rock Brigade, o que lhe motivou a lança-los em livro?
O próprio reconhecimento do público.O Roko começou a fazer tanto sucesso entre a roqueirada que chegou um momento em que paravam direto na rua pra cumprimentar pelo personagem.Essa é uma profissão muito bacana porque você acaba fazendo amizade com um monte de gente que você nem conhecia,assim no meio da rua(rs)!Sem falar no monte de e-mails que eu recebia de galera parabenizando ou dando idéias para usar nas histórias. Muitas dessas idéias eu utilizo e boto um agradecimento pro leitor num cantinho do quadrinho.
Aí saquei que era hora de lançar um livro pra aproveitar a popularidade do personagem e faze-lo crescer mais.Aí lancei o primeiro volume em 2003 que vendeu muito bem e agora lancei o segundo que está indo tão bem quanto o primeiro.

4-Você esperava pelo sucesso do primeiro livro?
Eu até esperava sim porque acho que lancei na hora certa, quando o personagem já tinha sete anos de publicação, ou seja, já estava maduro.Além disso fiz uma edição caprichadíssima e juntei duas editoras de alta credibilidade para lançar o projeto, a Rock Brigade e a Opera Graphica. E ainda faço questão de vender um livro de alta qualidade como esse a preço popular pois sei que hoje em dia tá todo mundo com a verba curta.

5-Quando foi lançado o primeiro livro, “Roko-Loko e Adrina-Lina,” você já esperava lançar continuações? Os fãs podem esperar mais volumes da serie?
Esperava sim. Minha intenção é fazer uma seqüência de volumes com todas as histórias pro cara ir colecionando, eu já tenho o volume três pronto pra ser publicado mas só devo lançá-lo ano que vem.Além do Roko tenho outros personagens que vão virar livros também, guardem espaço na estante para a "Enciclopédia do Baraldi"(rs)!

6-Você é o principal cartunista do rock no Brasil, desenhando para as principais revistas do estilo, inclusive veículos que podem ser considerados concorrentes. Como você se sente em relação a isso?
Me sinto muito feliz por ter tantos amigos que confiam no meu trabalho. Eu sou como o Roberto Carlos, eu quero ter um milhão de amigos(gargalhadas)!!!
Eu respeito a linha editorial de cada revista e procuro desenvolver um trabalho exclusivo para cada uma, procura não misturar as bolas jamais.Isso pra mim é um prazer pois eu adoro criar personagens e séries diferentes. Assim como quando eu era moleque gostava de vários personagens, hoje eu também quero ser um cartunista de vários personagens!

7-Na revista Comando Rock, você é o responsável pelas tirinhas do Guerrilheiro da Guitarra. Conte-nos um pouco sobre o personagem.
Ninguém percebe que ele foi inspirado no Marcão,editor da Comando,né(rs)?!?O Marcão é broder meu há mais de 12 anos e acho ele um personagem ambulante, então achei que podia fazer um “alter-ego” dele que explodisse tudo que não presta na indústria cultural e na mídia, as armações musicais, os programas imbecilizantes, e sobretudo, a horrorosa ditadura do jabá!Ele tem um pouco do Joe Strummer (do Clash) também, que pra mim, foi o verdadeiro guerrilheiro do Rock!

8-O que os leitores da revista mais rock do Brasil podem esperar das próximas aventuras do Guerrilheiro?
Muitas explosões (rs)!!!Ele vai continuar detonando todas as maracutaias da industria cultural e do mundo, ou seja, vai ter muuuuito trabalho pra ele ainda,e agora que o Satanás foi reeleito nos EUA, então, não vai faltar assunto pra ele explodir!

10-Voltando um pouco no tempo, como surgiu a idéia de criar personagens roqueiros?
Eu desenho rock´n´roll desde moleque quando enchia cadernos de escola com desenhos do Kiss e do Queen. Nos anos 80 desenhava para o jornal “Rocker“, no ABC paulista, onde fazia o personagem Johnny Bastardo, um punk.Anos depois fui para a Brigade onde criei o Roko-Loko, daí pra frente não parei mais.Sou um desenhista-rockeiro compulsivo,um “work-rock-aholic”(rs)!!!

11-Conte-nos sobre sua trajetória como cartunista.
Eu comecei profissionalmente aos 14 anos, no Sindicato dos Químicos do ABC.Trabalho na imprensa sindical e de esquerda há quase 20 anos, sou o cara que mais produziu nela até hoje.Paralelamente a isso construí uma carreira na imprensa roqueira e em revistas de todos os gêneros que vc puder imaginar.Na imprensa roqueira, modéstia a parte, construí uma obra inovadora que não tem similar no mundo!

12-Em todos esses anos, você já recebeu inúmeros prêmios. O mais recente o diploma de menção honrosa no 26º Prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos. Qual a importância desses prêmios para você e qual foi o mais importante?
Esses prêmios todos são o reconhecimento desses anos todos trabalhando que nem um cão, virando madrugadas e fazendo das tripas coração.Já ganhei dois Herzogs, três Angelos Agostinis e mais alguns outros prêmios bacanas.Pra mim todos são importantes, mas mais importante ainda é a amizade e o carinho que as pessoas te dão.Pra mim o mais importante sempre foi e sempre será o ser humano.As estatuetas vêm depois.

13-Além do lado roqueiro, você também mostra seu lado político e sindical em outros cartuns e livros. Como surgiu esse outro lado de Márcio Baraldi?
É que eu nasci no ABC, precisa falar mais(rs)?!?Eu nasci em plena ditadura militar na região mais fervente e politizada do país, sou filho de metalúrgico,no ABC nasceram o PT e a CUT, além de um dos primeiros e mais fortes focos do movimento punk e metálico nacional.Então, com tudo isso, nem tinha como ser diferente, o Marcio Baraldi só podia ser um cara que mistura rock com política!Só podia ser um puta cara legal (gargalhadas)!!!

Entrevista concedida a Antonio Junior e publicada na revista Comando Rock, edição dezembro/2004

 


Copyright © 2004-2009 – Marcio Baraldi – Por SGuerra@dEsign